quinta-feira, 18 de abril de 2013

Osteopatia Visceral


>





É o ramo da Osteopatia que se ocupa do tratamento de órgãos e vísceras, melhorando a função deles. A indicação das manipulações sobre o sistema digestivo é principalmente libertar aderências de podem dificultar a irrigação sanguínea dos mesmos, sequelas de cirurgias, sequelas de infecções e ptoses. Sobre a caixa torácica trabalha-se, principalmente, a mecânica respiratória, e as relações que esta tem com a coluna dorsal e cervical.

A vida e o movimento estão intimamente ligados. Todo o ser vivo está em movimento. São de especial importância os movimentos geralmente não visíveis que têm lugar dentro do corpo humano. Estão relacionados com muitos níveis de actividade, desde pulsações celulares de origem desconhecida até contracções rítmicas do coração e do diafragma, o ritmo sacro-cranial, etc.

O sistema visceral depende da sincronização entre os movimentos de todos os órgãos e as demais estruturas corporais. Quando a saúde está no seu nível óptimo , esta relação harmoniosa mantém-se estável dentro da grande variedade de movimentos do corpo.

Como consequência da perda de mobilidade reduz-se a circulação sanguínea do tecido afectado. Esta hipoemia pode chegar a converter-se em isquémia.

Desta forma, podem aparecer irritações, inflamações e infecções produzidas por problemas de irrigação.

Quando um órgão não pode estar em harmonia com outra víscera devido a uma tonicidade anormal, aderências ou deslocamentos, trabalhará contra os outros órgãos e também contra as estruturas musculares, membranosas, fasciais e ósseas.

Se a Osteopatia Estrutural e Cranial requerem uma habilidade e um saber fazer particular, a Osteopatia Visceral requer além disso muita perspicácia.

O Dr. Still dizia que “o funcionamento do homem é uno e indivisível; qualquer que seja a alteração de um órgão, repercutirá necessariamente em todo o organismo”.

Costuma-se dizer que as vísceras podem apresentar transtornos reversíveis (transtornos funcionais) ou irreversíveis (transtornos orgânicos) e que a osteopatia dedica-se aos transtornos funcionais. Mas de facto, é muito mais complexo que tudo isso, pois existem estados mistos onde transtornos funcionais e orgânicos se misturam.

As investigações do Dr. Jean-Pierre Barral e o seu trabalho clínico com os movimentos rítmicos viscerais levaram-no ao desenvolvimento de uma forma de pressão manual focada nos órgãos internos e o seu entorno, sem esquecer a sua potencial influência sobre muitas das suas disfunções estruturais e fisiológicas. O termo com que denominou a sua terapia foi Manipulação Visceral.

Esta manipulação baseia-se na palpação das forças normais e anormais do corpo. Através de uma palpação específica, o terapeuta pode avaliar como interactuam as forças anormais, como de sobrepõem e como afectam as forças normais que trabalham no corpo. O objectivo da Manipulação Visceral é assistir as forças normais do corpo para tirar os efeitos anormais, seja qual for a sua origem.

Você conhece o nosso Drive Virtual de Conteúdo spbre Terapia Manual? Clique aqui e conheça!

Comente:

Um comentário: